22.8 C
Tamboré
segunda-feira, 15 abril 2024
Publicidade • Anuncie Aqui

Escritora que cresceu em Barueri lança obra juvenil sobre os desafios da adolescência na Flip 2023

Publicidade • Anuncie Aqui

Desde os 18 anos, a autora paulista Vanessa Nascimento, que cresceu em Barueri, utilizava-se da contação de histórias para interessar e cativar seus alunos, porém, foi só ao passar por um quadro depressivo que ela percebeu como escrever a fazia se sentir viva. Então, decidiu escrever sobre e para meninas e mulheres inspiradoras. Assim surgiu “Todas as vidas de Tati” (Editora Polifonia) que será lançado no dia 23, às 16h, durante a 21ª Feira Literária Internacional de Paraty, dentro da programação da Casa Gueto (Rua Benedito Telmo Coupê 277, Centro Histórico de Paraty).

O livro conta a história de Tati, uma adolescente que conheceu a fama muito nova após seu vídeo sapateando viralizar no YouTube, tendo mais de 70 milhões de visualizações. Assim, a garota passou a ter a vida de “criança famosa” e sua mãe, a musa fitness Stephanie, pôde finalmente entrar em contato com o mundo das estrelas, lugar que sempre correu atrás para estar. Porém, as pressões de tanta exposição logo começaram a pesar sobre Tati, que se viu em meio a cobranças exacerbadas sobre seu corpo e aparência, fazendo com que adoecesse e perdesse a sua alegria contagiante.

A obra perpassa temas principais como cobrança por um corpo padrão, mães narcisistas, distúrbios alimentares, rede de apoio e conexão com a natureza. “Com linguagem simples para o entendimento de adolescentes sem muito contato com a leitura, procuro colocar a leitora na situação da cena. Minha narrativa é quase um roteiro de série”, frisa a escritora.

Superação de feridas

“Escrevi esse livro para fazer as pazes com meu corpo e minha imagem, que sempre pertenceram a opiniões alheias”, frisa Vanessa, que começou a escrever em 2019, após uma separação traumática de um marido abusivo. Na época, ela pediu transferência no trabalho e se mudou de Londres para a Ilha de Malta, para recomeçar sua vida.

Nesse período de solidão, passou por um quadro intenso de depressão e por indicação e uma amiga encontrou conforto na obra de Matt Haig, “Reasons to be alive”. “Nesse livro, o autor, que é um depressivo crônico, cita algumas estratégias que o ajudam a lidar com os pensamentos autodepreciativos. Uma delas é listar atividades que nos fazem sentir vivos. Escrever estava no topo da minha lista”.

Vanessa começou escrevendo um diário e depois, ao arranjar coragem para visitar a Ásia, passou a fazer postagens em redes sociais sobre suas viagens. Diversas pessoas se conectaram com seus textos e isso a encorajou a viver da escrita.

Estilo literário e inspiração

Ela construiu seu estilo literário com influências da escrita envolvente de J. K. Rowling, a transposição da realidade de mundo feita por Pedro Bandeira e a maneira com que tratar assuntos delicados no infanto-juvenil de Thalita Rebouças.

Quando começou a escrever “Todas as vidas de Tati”, Vanessa pensou que os temas abordados no livro eram aqueles que gostaria de ter lido quando passava pela adolescência e também se manteve na sua linha de escrever sobre meninas e mulheres que conseguiram, a muito custo, recuperar o controle dos próprios corpos.

Você sabia? O Jornal de Barueri também está no Google Notícias.
Inscreva-se agora e fique sempre atualizado com as últimas notícias.
show-notify-twitter

JB Stories

Leia Também

Publicidade • Anuncie Aqui
Publicidade • Anuncie Aqui
Publicidade • Anuncie Aqui

Leia Também