21.5 C
Tamboré
sábado, 2 março 2024
Publicidade • Anuncie Aqui

Com os casos de dengue em alta, demanda por repelente aumenta 120%

Publicidade • Anuncie Aqui

O número de casos prováveis de dengue no Brasil em 2024 chegou a 408 mil, segundo atualização de sexta-feira (9) no Painel de Monitoramento de Arboviroses do Ministério da Saúde. Já o número de mortes confirmadas pela doença atingiu 62, enquanto outras 279 mortes suspeitas estão sendo investigadas (veja painel com casos sobre a região abaixo).

Com o avanço da doença, a procura por repelente para manter longe o mosquito transmissor, o Aedes aegypti, também cresceu. Segundo informações do Grupo RD, responsável pelas drogarias Raia e Drogasil, só em fevereiro deste ano, a busca pelo produto teve alta de 120% em comparação com o mês anterior.

A prevenção ainda é a melhor forma de combater a doença, como eliminar água parada, local que o mosquito transmissor, o Aedes aegypti, coloca seus ovos (leia mais abaixo), porém o uso de repelente para o manter longe é recomendado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A Anvisa recomenda que devem ser usados repelentes regularizados pela agência que contenham IR3535, DEET (N-N-dietilmetatoluamida) ou Icaridina. O produto deve ser aplicado nas partes expostas do corpo, conforme indicação do fabricante.

Em crianças menores de 2 anos de idade, não é recomendado o uso de repelente sem orientação médica. Para crianças entre 2 e 12 anos, usar concentrações até 10% de DEET ou Icaridina, no máximo 3 vezes ao dia.  

O repelente cosmético, para a pele, e os usados no ambiente são itens essenciais para a proteção de doenças transmitidas por insetos, que proliferam no verão. Confira a lista completa dos produtos indicados pela Anvisa (clique aqui).

Prevenção

Além dos mutirões realizados em Barueri por agentes de saúde que visitam bairros com maior incidência de focos, a população pode ajudar evitando o acúmulo de inservíveis, não estocar pneus em áreas descobertas, não acumular água em lajes ou calhas, colocar areia nos vasos de planta e cobrir bem tonéis e caixas d’água, usar telas nas janelas e repelentes em áreas de reconhecida transmissão. Todo local de água parada deve ser eliminado, pois é lá que o mosquito transmissor, o Aedes aegypti, coloca os seus ovos.

Sintomas da dengue

Os sintomas de dengue, chikungunya ou Zika são semelhantes. Eles incluem febre de início abrupto acompanhada de dor de cabeça, dores no corpo e articulações, prostração, fraqueza, dor atrás dos olhos, erupção e coceira na pele, manchas vermelhas pelo corpo, além de náuseas, vômitos e dores abdominais.

A orientação do Ministério da Saúde é para que a população procure o serviço de saúde mais próximo de sua residência assim que surgirem os primeiros sintomas.

Painel

O Governo do Estado de São Paulo, por meio do Centro de Operações de Emergências (COE), lançou o Painel de Monitoramento da Dengue (clique aqui), para ampliar a transparência da evolução dos casos de arboviroses em todo o estado. Os dados poderão ser filtrados por data, município e Grupo de Vigilância Epidemiológica (GVE).

De acordo com a ferramenta, nesta segunda-feira (12), a região de Osasco, na qual está inserida Barueri, contabiliza 2.543 notificações da doença, sendo 758 confirmações de dengue e 1 óbito em investigação.

“As informações podem ser acessadas pelo celular ou computador. Dessa forma, estamos ampliando o acesso da informação sobre a dengue para toda a população. São dados que nos ajudarão no combate à doença em todas as regiões do Estado,” comentou a diretora do Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE) da Secretaria de Estado da Saúde, Tatiana Lang D’Agostini.

Você sabia? O Jornal de Barueri também está no Google Notícias.
Inscreva-se agora e fique sempre atualizado com as últimas notícias.
show-notify-publicidade-legal

JB Stories

Leia Também

Publicidade • Anuncie Aqui
Publicidade • Anuncie Aqui
Publicidade • Anuncie Aqui

Leia Também