Hospital Municipal disponibiliza leitos exclusivos para cuidados paliativos

0
1218
Ação faz parte de medidas para promover atendimento humanizado e de qualidade. (Foto: Divulgação)

Com o intuito de promover atendimento humanizado e de qualidade, o Hospital Municipal de Barueri (HMB) reservou quatro leitos especialmente dedicados a pacientes com sintomas de doenças graves que ameaçam a continuidade da vida e para pacientes acometidos por patologias em estágio terminal.

O HMB, que possui uma equipe multidisciplinar composta por médicos, enfermeiros, psicólogos, assistentes sociais e capelães hospitalares, oferece esse tipo de assistência em todos os setores e especialidades desde maio de 2018.

Com base nas informações do Ministério da Saúde, cuidados paliativos são destinados a toda pessoa afetada por uma doença que ameace a vida, seja aguda ou crônica, a partir do diagnóstico de uma enfermidade, com o objetivo de promover melhoria da qualidade de vida do paciente e seus familiares.

De acordo com a Academia Nacional de Cuidados Paliativos, o significado de paliar é proteger. E proteger alguém é uma forma de cuidado com o objetivo de amenizar a dor e o sofrimento. Justamente para oferecer qualidade de vida, a equipe de cuidados paliativos se dedica a tratar cada paciente com individualidade, acolhimento e manejo dos sintomas de forma diferenciada.

No caso da paciente Maria Neusa dos Santos Silva, que está recebendo cuidados paliativos no HMB, tanto a transferência de leito quanto o seu aniversário foram motivos de comemoração. “A festa surpresa para a minha sogra foi a coisa mais linda! Eu fiquei muito emocionada! A equipe, que é muito carinhosa, humana e dedicada, cantou ‘parabéns’, trouxe bolo, bexigas e até uma flor de presente para ela!”, conta Diana Aparecida da Silva Santos, que considerou a atitude essencial para amenizar a dor.

Além da dor física, diante do diagnóstico de uma doença grave, é comum surgirem muitas dúvidas e complicações emocionais. Por isso, é fundamental que pacientes, familiares e profissionais da saúde estejam sempre alinhados e em contato direto.  “Quanto mais cedo o paciente chega para o paliativismo, maior é o tempo de acompanhamento e maior a possibilidade de proporcionar a melhor forma de desfecho.

As reuniões, na sala de acolhimento, são justamente para explicar as condições e possibilidades do paciente para todos os familiares, para que todos entendam o planejamento do trabalho conjunto”, explica Samanta Gaertner Mariani, paliativista do HMB, que considera a abordagem integral da equipe multidisciplinar fundamental para o tratamento, já que uma especialidade complementa a outra.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.