Suas emoções influenciam na sua alimentação

0
110

Por Camila Perego

Uma das maiores queixas desde o início da quarentena tem sido o ganho de peso. Estar em casa sem nada muito atrativo para se fazer levou a maioria a recorrer a comida para fugir da monotonia.

O fato é que nossa relação com o alimento é desde o nascimento associada a sensações de prazer, satisfação, alegria, conforto e por vezes a comida é introduzida na vida da criança como uma forma de recompensa. Logo, o alimento perde sua função real e passa a ser associado inconscientemente apenas ao afeto. Com isso, para muitos ele se torna um “abraço” na vida de quem está triste, angustiado, ansioso, nervoso, estressado, perde sua real função e se torna uma válvula de escape momentânea para se ter tal alívio.

Isso justifica o excesso de consumo de alimentos nesse período de pandemia e em tantos outros momentos em que se experienciou alguma emoção que causa mal-estar. Acontece que a comida traz alívio momentâneo e um arrependimento enorme depois de ingerida sem necessidade, não é mesmo?

Te convido hoje a se perceber, ficar mais atento ao que está sentindo ao se alimentar, sobre o que tem te motivado a comer, porque seu estado emocional influencia diretamente no ganho de peso e comer não vai ajustar suas emoções, muito menos resolver seus problemas. Preocupe-se em elaborar o que está sentindo. Esse desequilíbrio na balança pode ser resultado de um desequilíbrio emocional. Sozinho pode ser difícil, se precisar busque ajuda, um Psicólogo poderá de auxiliar neste enfrentamento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.