Câmaras voltam de recesso de olho nas contas de ex-prefeitos

0
390
Presidente da Casa, Doutor Lindoso pediu mais prazo para apresentação da defesa de Lapas (Foto: Ricardo Migliorini/CMO)

Os vereadores da região oeste voltam às sessões legislativas na terça-feira (1º), após o recesso, com a votação de contas de ex-prefeitos como um dos temas que devem
movimentar o segundo semestre.

A mais aguardada é a do ex-prefeito de Osasco, Jorge Lapas (PDT), que não foi votada na reta final do primeiro semestre. As contas têm peso, pois dependendo de como os parlamentares analisarem o caso podem tornar o político inelegível por oito
anos, o que ocorreu, por exemplo, justamente na vitória de Lapas em 2012.

O deputado Celso Giglio (PSDB), morto neste mês, teve seus votos anulados e o segundo colocado na época assumiu a prefeitura. O Tribunal de Contas do Estado (TCE) pediu a rejeição das contas, em função da não aplicação de 25% dos recursos na educação em 2013, o que é obrigatório.

Os aliados de Lapas argumentam que o TCE não considerou o gasto em programas como o Recreio nas Férias, para pedir a absolvição. O pedetista precisa de 14 votos
para ter a aprovação.

Ainda não está confirmado o dia da votação, mas pode ocorrer na primeira sessão. No final de junho, os vereadores começaram a votar as contas, mas o presidente da Casa, Lindoso (PSDB), suspendeu a votação para dar tempo de Lapas apresentar sua defesa.

Região
Enquanto o processo  de Osasco está na fase final, outras contas podem ser votadas neste semestre, mas ainda não estão confirmadas. Em Santana de Parnaíba, os vereadores têm
analisado o parecer do TCE sobre a gestão de 2012 do ex-prefeito Silvinho Peccioli (DEM).

Segundo a Casa, o tema ainda está na comissão que analisa o caso e caberá a ela determinar o andamento das ações. Em Cotia, o ex-prefeito Carlão Camago (PSDB) teve as contas rejeitadas pela Câmara em março.

Em Barueri, as contas de 2013 do ex-prefeito Gil Arantes (DEM) tiveram parecer favorável. No caso das contas de 2014, a primeira avaliação do TCE foi pela desaprovação, mas o processo ainda tramita e pode ser feito o pedido de reexame ainda no Tribunal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.